22 de ago de 2009

Língua Portuguesa

Língua Portuguesa

substantivo e adjetivo (classificação)
O substantivo faz parte da classe de palavras variáveis da língua portuguesa. Isso quer dizer que pode apresentar flexões de gênero, número e grau.
A definição de substantivo é: a palavra que dá nome aos seres, coisas, lugares, idéias, sentimentos.
● Quanto à forma, os substantivos podem ser classificados em: simples, compostos, primitivos e derivados. Vejamos:
Substantivo simples: Quando possui apenas uma palavra ou um termo: tempo, flor, sol, chuva.
Substantivo composto: Quando possui mais de uma palavra ou de um termo: passatempo, couve-flor, girassol, guarda-chuva.
Substantivo primitivo: É a base de formação de outras palavras, ou seja, não deriva de nenhuma outra palavra: pedra, carta, nobre.
Substantivo derivado: É formado a partir de outra palavra, a qual é um substantivo primitivo: pedreiro, carteira, nobreza.
● Quanto à classificação, os substantivos podem ser classificados em: próprio, comum, coletivo, concreto, abstrato.
Substantivo próprio: Nomeia um ser, especificando-o (nomes, sobrenomes, países, cidades, rios, oceanos, etc.): Jesus, Cristo, Vitória, Nilo, Atlântico.
Substantivo comum: Nomeia um ser, generalizando-o: casa, rio, oceano, esperança, caráter, paz.
Substantivo concreto: Nomeia pessoas, objetos, lugares que existem ao natural ou na imaginação: saci, cadeira, fada, mesa.
Substantivo abstrato: Nomeia ações, qualidades, defeitos, estados, sentimentos que não existem ao natural: pensamento, beleza, felicidade, calor, frio, vida.
Substantivo coletivo: Designa um conjunto de seres ou coisas de uma mesma espécie: bando, congresso, alcatéia, povo, coro.

Uso do por que / por quê / porque / porquê

Você fica com dúvidas toda vez que decide usar um dos porquês? Bom, você não é o único! A verdade é que cada porquê tem um sentido diferente e é por esse motivo que necessitam de serem diferenciados!

Vejamos como fica o porquê:

Quando puder substituir por uma vez que, já que, visto que, pois ou para que, ou seja, por conjunções causais, explicativa ou final, será escrito junto e sem acento: porque.

a) Ela não gosta de viajar de ônibus porque demora demais! (visto que, uma vez que)
b) Não vá de ônibus, porque demorará demais! (pois)
c) É preciso que você não vá de ônibus porque, dessa forma, chegue a tempo! (para que)

Quando for substantivo e/ou houver um artigo (o, os, um, uns) antecedendo, será escrito junto e com acento: porquê. Nesse caso, seus substitutos são as palavras: motivo, razão, causa.

a) O porquê de estarmos aqui é que faremos reunião a respeito das férias de dezembro.
b) Dê-me um porquê para continuar a ajudá-lo!
c) Agora, estudaremos o uso dos porquês.

Nas orações interrogativas diretas, ou melhor, nas perguntas, use separado e sem acento: por que:

a) Por que você não veio ontem?
b) Então, por que não podemos ir?

Da mesma forma, quando a oração for afirmativa e puder ser substituído por “pela qual”, pelo qual, pelas quais, pelos quais ou quando a palavra “razão” estiver subentendida, use dessa forma: por que.

a) Este é o motivo por que não mantemos nossas prioridades. (pelo qual)
b) Não entendi por que estamos tão ansiosos, pois de nada adianta! (por que razão)

O acento irá incidir sobre a forma “por que” (por quê) quando este vier ao final de alguma frase ou antes de pausas, ou seja, vírgulas:

a) Não sabia por quê, mas estava muito esperançoso! (por qual razão)
b) Você não foi ao cinema, por quê? (por qual motivo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário